Erros que designers iniciantes cometem e como você pode evitar

Date
Maio, 11, 2020

Começar no design nunca foi e nunca será um bicho de sete cabeças, na minha opinião. Todas as carreiras digitais, virtuais, visuais, de programação, desenvolvimento e que fazem diferença no mundo conectado serão uma tendência daqui pra frente e dificilmente você terá dificuldade em conseguir um trabalho fixo ou demandas freelancer.

A área de design pra mim é bastante flexível, inclusive. Você pode gostar de design e acabar em várias áreas. Não tem essa de você precisar fazer uma coisa só e servir a um tipo de trabalho só. Você pode ser multidisciplinar, empreender em cima do seu talento de design – assim como eu, pode ser especialista com foco em uma área ou generalista.

Design é necessário inclusive pra tanta coisa hoje em dia! Mas principalmente para comunicação. E comunicar com as pessoas tem um vasto significado. Deste representar sua marca através de uma imagem ou site, até criar toda uma interface de aplicativo para que as pessoas cheguem até o seu serviço.

E é isso: design na minha concepção é algo incrível e necessário. E pra deixar claro: Qualquer um que queira pode ser um designer. E por isso, muita gente que entra nessa carreira dá seu melhor, seja entrando via faculdade ou autodidata, com cursos online e procurando por tudo que pode aprender.

E aí é que tá: Se você está começando agora, seja vindo da faculdade ou procurando tudo por conta própria, tem muitas chances de cometer alguns errinhos que podem afetar o fluir e evolução da sua carreira. Então bora falar sobre erros que designers iniciantes cometem e como evitar!

Erro 1: Desvalorizar o mercado de designers

Um primeiro passo muito importante é lembrar que quando você estiver começando, está tudo bem você criar artes e trabalhos por um preço simbólico ou até mesmo de graça. Criar projetos que vão te ajudar a preencher portfólio e ganhar experiência são essenciais.

Mas lembre-se bem que você não precisa deixar seus preços minúsculos pro resto da vida. Você pode e deve aumentar seu preço de acordo com o tanto que você trabalha e investe no seu trabalho. Por favor, não seja o tipo de pessoa que cobra super barato por um trabalho onde seu cliente vá ficar “mal educado” sobre como o mercado funciona.

É daí que sai as pessoas que vão até um bom profissional e dizem “Quinhentos reais?? Mas fulaninho tinha me cobrado só cinquenta!”. E o nosso trabalho é como qualquer outro, e tem que ser devidamente qualificado. Então não se desvalorize nem desvalorize outros profissionais, tá?

Erro 2: Querer fazer tudo e ser bom em tudo

Uma pessoa que tenta focar em tudo e ser bom em tudo pode acabar não sendo suficientemente bom em nada. E isso é absurdamente essencial de se ter em mente na hora de trabalhar com design. Qualquer área do design tem seus focos. E você tem que saber priorizar alguma coisa.

O importante aqui é dar um passo de cada vez

Você não pode começar a treinar design de logo, identidade visual, social media, branding, motion design, interface e experiência logo tudo junto. Primeiro que ser Severino assim não vai te levar muito longe. Segundo que isso não te ajuda a focar em nada.

Dê um passo de cada vez. Aprenda primeiro o básico do Design Gráfico se você quer ser um Designer Gráfico/Visual. Aprenda sobre grids, sobre tipografia, e cores. Quando você se sentir competente em design gráfico na como um todo, aí sim você pode passar pra uma próxima área e começar a entender e complementar a sua carreira.

Eu por exemplo: tenho foco em identidade visual, mas sei bastante sobre branding e design interface/web. Uso isso como meus pontos fortes diferenciais na hora de conseguir um cliente. Mas sem a identidade visual com uma experiência bem estruturada não valeria de nada eu oferecer as outras coisas. Porque eu ia saber mais ou menos sobre tudo. Mas não dominar nada.

Erro 3: Só focar em software

O problema dos cursos mais baratinhos e populares quando você tenta estudar por conta própria, é que eles tem um defeito enorme de só focar no software. Software pra você que não sabe, é nada menos que “programas”.

Cursos que te ensinam como se virar e ser melhor com o Photoshop e Illu

strator por exemplo, são incríveis. Muito bom mesmo que você aprenda como usar. Algumas coisas podem ser difíceis e aprender sozinho na marra pode ser cansativo ou louco. Digo por experiência própria.

Mas isso não vai te dar um olhar de designer. Isso pode te dar nada além de saber como meter um coração de cor dourada dentro de uma letra, colocar um nome de empresa em baixo e chamar isso de logo.

Você precisa saber sobre grid, sobre kerning, entender tipografia, espaçamento, escalas, cores… É muita coisa pra só se jogar no “Sei tudo sobre photoshop, sou designer gráfico!” e chamar isso de um dia feito. Eu tô falando de erros aqui, então não dá pra pegar leve.

Se você quiser trabalhar para grandes empresas, empreendedores e marcas incríveis, você também tem que se mostrar grande. Se alguém te perguntar o porquê da escolha da logo como você fez, ou da tipografia, ou até mesmo da combinação de cores, você saberá o que dizer? Se a resposta for não, você precisa estudar e aprender Design. Você só sabe fazer gráficos, mas não é um Designer.

E não, isso não é para ofender. É para educar. Tanta gente por aí quer ser designer, quer crescer na carreira, mas muitas vezes não consegue grandes oportunidades porque seu trabalho é medíocre ou sem experiência e visão de design. E eu quero que você seja diferente. Quero que seja bom. Quero você concorrendo a vagas com empresas como Nubank, Hotmart, Santander, iFood. Ganhando bem fazendo marcas incríveis para empreendedores. Não cobrando R$ 50,00 em uma logo para alguém (o que não é ruim, entendam. Só tem potencial pra ser MUITO melhor).

Sendo sincera, isso é uma das motivações de eu estar investindo no meu trabalho e experiência para quem sabe no futuro poder contribuir de forma valorosa para essa área. Criar cursos, webinários, ebooks, e tudo que eu puder pra ajudar as pessoas e ajudar a valorizarem desde o começo esse quesito. Inclusive meu canal no YouTube tem muita dica de Design e Produtividade, além do meu lifestyle. E no Instagram rola muito story sobre minha rotina, além de dicas de criatividade.

Você investiria em algum curso meu? Assistiria um workshop? Conta pra mim pelo direct no Instagram, prometo, eu não mordo e vou te responder!

Erro 4: Não se dedicar a aprender regras e teorias essenciais

Não adianta você se achar a pessoa talentosa intergalática se você não sabe nem o básico de qualquer teoria e estudos/regras de design. Não é sobre jogar um monte de cor e formas e botar uma letrinha bonita em uma prancheta de arte dentro do Photoshop. É sobre fazer algo útil, profissional, que faça diferença, chame atenção, e que esteja bem feito. Que tenha propósito.

Você tem que saber o porquê de estar criando as coisas. Ninguém pegou uma maçã e simplesmente colou no verso de um celular e falou “Minha nossa, não é que combina?”. A Apple, em questão, passou por atualizações da marca, até chegar no que é atemporal e altamente reconhecível hoje. E tem todo um estudo pra tudo visual que você encontra deles. O site, as cores, o logo, as redes sociais, e até mesmo os seus produtos.

Pra te explicar como isso é importante: Eu vejo na Apple uma marca de luxo, pertencimento, privacidade, promessa de design e qualidade acima de tudo. Ela usa preto e branco predominantemente em sua marca, por isso traz essa impressão do luxuoso, de você estar comprando uma experiência, algo grande e incrível.

Não, eu não li no site da Apple pra saber tudo isso. Eu estudei. E eu posso ficar um dia todo te explicando sobre Nubank, HP, Spotify, Uber, etc. Isso é um diferencial. As pessoas gostam de entender o porquê e a motivação de um designer criar alguma coisa.

Você saber explicar para o seu cliente porque escolheu as coisas que escolheu é essencial. Porque quando ele busca um designer, ele tá buscando alguém que saiba o que está fazendo. E ás vezes a gente precisa convencer nosso cliente de que uma escolha é essencial e ideal. Se fizermos tudo que um cliente quer estamos perdidos, e com certeza com um portfólio zoado.

E existem algumas coisas que seu cliente não sabe, mas psicologicamente, visualmente e automaticamente ele vê harmonia ou não no seu design. Cabe a você saber como posicionar e harmonizar as coisas. Saber escolher e combinar fontes por exemplo pode mudar drasticamente qualquer design.

Tá, mas e agora, o que eu estudo, por onde começo? Quer uma lista do que você pode aprender para ser designer e aprender design? Bora:

  • Gridding
  • Tipografia
  • Teoria das Cores
  • Psicologia das Cores
  • Kerning
  • Identidade Visual
  • Heurística
  • Gestalt

A lista não acaba, mas acho que dá pra começar com isso, né? Prometo postar mais sobre essas coisas de forma básica, assim que der. Quem sabe lá no YouTube? Se inscreve e fica de olho. Mas como meu conteúdo não é focado exatamente em tutoriais de design, você vai ter que procurar e garimpar isso aí. Te garanto que tem conteúdo inesgotável pela internet sobre esses pontos.

Erro 5: Não conhecer as outras áreas do design

Você não precisa estudar as outras áreas. Se você quer ser Designer de Interface, não necessariamente precisa saber sobre design de embalagens, ou design de produto. Mas você deve conhecer. E isso é meio óbvio: Conhecendo as outras áreas do design você sempre vai saber o que cada profissional e você são competentes para fazer.

Se uma pessoa quer alguém que trabalhe com Social Media e essa não é sua especificação, você vai saber o que é, quem faz e até mesmo como proceder com essa pessoa. Rola indicar profissionais, tá? Mais colaboração mútua e menos competição sem cabimento! Se não é a sua área, e se não é sua especialidade, não é também seu concorrente.

Erro 6: Não querer aprender e colaborar com outros designers

Continuando o papo de concorrência x colaboração do item anterior, saiba que é a maior besteira do mundo achar que não tem o que aprender com outros profissionais, okay?

Eu tenho muito a aprender com muitos profissionais por aí. Sigo no meu Linkedin dezenas de designers que tem empregos que eu adoraria ter. Mas porque eu odiaria essa pessoa, ou teria orgulho e recusaria aprender com estes, se eles estão num nível onde eu gostaria de evoluir para? Pegou a lógica?

Você sempre tem o que aprender com o próximo.

INCLUSIVE!! Você sendo de uma área especializada só te faz aberto a colaborações com outros designers. Como? Oras, seguindo o exemplo anterior, um Designer de Interface pode muito bem trocar indicações com um Social Media quando precisam um da habilidade do outro pra algum job. Eu sei que você entendeu. Faça isso. É ótimo, ok?

Erro 7: Não se especializar pelo menos no mínimo

Não existe uma pessoa sequer que vá ver o site de um profissional competente pra cuidar do design do seu negócio, e não assuste e pense duas vezes em contratar se a lista do que ele pode fazer é enorme e vindo de várias vertentes. É aquilo do Severino né? Ele é chamado de quebra-galho. A empresa não quer que você quebre o galho dela, quer que você transforme ela por meio do design.

Então é importante que você saiba ter um foco mínimo. Você é Designer Gráfico, ótimo. Mas o que você mais foca? Em social media, design de logo, identidade visual, email marketing, ilustração… Tem muitas possibilidades. Ah! E se especializar pelo menos um pouco pode te ajudar a destacar seu diferencial.

Você pode arrumar clientes e fazer algumas coisinhas por fora do seu foco, mas sempre priorize uma área de atuação que você gosta e vai dominar. Quando você é muito bom em uma coisa as pessoas confiam mais no seu talento para isso do que quando você é mais ou menos em tudo, pau pra toda obra.

Erro 8: Achar que já sabe de tudo

Todos os mercados da atualidade estão em constante expansão, evolução e mudança. Não é diferente com o Design. Não ser arrogante e saber que você pode descobrir algo novo todo santo dia é muito importante aqui. Muita coisa evolui e muda o tempo todo e todas as áreas da vida acabam acompanhando isso. E o design fala muito sobre nós, comunica para nós. Então sempre vai mudar e deve se adaptar, assim como a gente também.

Podem existir muito mais erros que qualquer profissional comete, mas isso é normal. Saiba que não é porque você se encaixa em um ou alguns desses erros, que você é ruim ou deve se desvalorizar. Muito pelo contrário, é uma oportunidade de evoluir como pessoa e profissional. Eu tenho certeza que tanto esse post como muito conteúdo aqui no site e pelo Google a fora vão te dar essa evolução.

Liste os erros, anote o que você pode fazer para mudar isso, e comece a agir agora mesmo. Tá bem?

Thayna Julia

Designer, criadora de conteúdo, apaixonada por games e cultura pop tanto quanto ama o universo da beleza e moda.

Leave a comment

Related Posts

SOBRE

24 anos, apaixonada por criar as coisas. Designer e criadora de conteúdo, com o propósito de te incentivar a ser mais criativo e ter a vida que sonha.

Inscreva-se na newsletter

Receba no seu email freebies, novidades, promos e conteúdo criativo!

Inscreva-se na newsletter

Receba no seu email freebies, novidades, promos e conteúdo criativo!